Questão em aberto: analógico ou digital

Os sinais dos sensores de rodas podem ser disponibilizados de forma analógica ou digital. Manfred Sommergruber explica as particularidades de cada forma utilizando como exemplo o sensor de rodas RSR110 da Frauscher.

O futuro precisa de abertura: no desenvolvimento de soluções para o setor ferroviário, isso significa as informações serem transmitidas de forma compreensível e estruturada por meio da interface. Só assim se disponibiliza o conhecimento necessário para a identificação e o cumprimento das exigências de cada projeto.

O desenvolvimento de sensores de rodas indutivos com essa filosofia oferece uma série de vantagens específicas. O sinal dos sensores é disponibilizado de forma inalterada e direta por meio de uma interface aberta, o que permite uma implementação e avaliação absolutamente individual. A integração direta possibilita também um grau de detalhamento máximo na avaliação. Como não é necessário que haja uma unidade de avaliação específica, a demanda de componentes de hardware e do consumo de espaço e energia, assim como dos seus respectivos custos, podem ser reduzidos a um mínimo.

"A convicção de que um sensor de rodas com interface analógica aberta pode oferecer vantagens significativas para integradores de sistema e operadores foi a força motriz por trás do desenvolvimento do RSR110. Esse sensor de rodas combina solidez com confiabilidade e é o primeiro do nosso portfólio a poder ser adquirido completamente sem unidade de avaliação. Nossos clientes podem utilizar o sinal do sensor exatamente como suas respectivas aplicações exigem", assim descreve Manfred Sommergruber, Technical Sales Manager na Frauscher, a história por trás do produto. Esse sensor de rodas já foi implementado nas mais diversas aplicações logo após ter sido introduzido no mercado – e, até hoje, sempre aparecem novas. A Prosoft, por exemplo, é uma empresa que passou a utilizar o RSR110 como componente-padrão em seus sistemas RFID. "Com base na interface aberta desse sensor, podemos avaliar o sinal 100 por cento conforme as nossas necessidades", diz Martin Novak, CEO Prosoft Süd Consulting GmbH. "A alta precisão com que esse aparelho trabalha e suas flexíveis possibilidades de integração também foram motivos decisivos para hoje nós utilizarmos o RSR110 como componente- padrão nos nossos sistemas."

Sensores de rodas com interface aberta possibilitam avaliações individuais.Sensores de rodas com interface aberta possibilitam avaliações individuais.

Analógico ou digital?

Quanto às interfaces abertas, também vale dizer que a versão digital oferece vantagens em comparação com uma interface analógica, especialmente no que diz respeito a uma rápida execução da integração. Diversos sistemas de detecção de rodas da Frauscher utilizam unidades de avaliação especiais. Os sinais obtidos por meio delas, digitalizados, passam por uma pré-avaliação, que possibilita um rápido processamento dos dados.

"Depois de termos implementado o RSR110 em vários projetos, recebemos relatos positivos de diferentes mercados. Ao mesmo tempo, porém, constatamos em diferentes conversas que alguns clientes não precisam das informações com toda a precisão que o sinal analógico possibilita. Em vez disso, um sinal digital pré-avaliado junto com a interface digital teria bastado em alguns casos", diz Manfred Sommergruber. "Então decidimos desenvolver um Wheel Sensor Signal Converter WSC, que transforma o sinal analógico em um sinal digital, criando uma interface correspondente. Isso reduz principalmente o trabalho por parte do cliente, que não precisa mais resolver essa transformação sozinho. Assim se obtém a possibilidade de uma integração ainda mais rápida e simples em sistemas superiores."

Flexibilidade como chave

Basicamente, as mesmas informações podem ser disponibilizadas por meio de interfaces analógicas e digitais. A diferença entre elas é que a pré-avaliação ocorrida na conversão do sinal limita em certa medida o possível grau de detalhamento da avaliação em comparação com o fornecimento direto do sinal analógico aos sistemas superiores.

"Com o RSR110 e o WSC, porém, podemos oferecer de qualquer modo aos nossos clientes exatamente os componentes de que eles precisam conforme os requisitos individuais dos projetos", resume Manfred Sommergruber – e apresenta o exemplo de um projeto em que as duas abordagens foram aplicadas: "Um cliente nos relatou que já utiliza o RSR110 junto com o módulo WSC para transmitir as informações dos sensores ao seu sistema por meio da interface digital.

Assim são ativados diversos sistemas de monitoramento. Mas para uma instalação mais específica, era necessária uma avaliação das posições exatas das rodas. Essa exigência foi cumprida por meio da transmissão direta do sinal analógico – o que precisou apenas da implementação de outros sensores RSR110 sem o módulo WSC. Assim foi possível atender a duas exigências com um único produto."

O sinal pode ser utilizado diretamente a partir do sensor ou, para uma integração mais simples, pode ser digitalizado antes por meio do WSC. O sinal pode ser utilizado diretamente a partir do sensor ou, para uma integração mais simples, pode ser digitalizado antes por meio do WSC.

Manfred Sommergruber

Manfred Sommergruber

26.06.2017

Tecnologias

914 palavras

Tempo de leitura: 7 minutos

Questão em aberto: analógico ou digital Questão em aberto: analógico ou digital

Artigos relacionados

"Rigorosamente conforme o protocolo"

Aplicações

"Rigorosamente conforme o protocolo"

Fabian Schwarz | 28.06.2017 | 1259 palavras | Tempo de leitura: 9 minutos

As aplicações ferroviárias estão cada vez mais complexas. A entrevistada Melanie Kleinpötzl, Frauscher Product Management, explica como eficientes protocolos de software garantem a perfeita comunicação necessária entre os sistemas.

Leia mais
Como os sistemas se comunicam

Tecnologias

Como os sistemas se comunicam

Stefan Lugschitz | 29.06.2017 | 1714 palavras | Tempo de leitura: 12 minutos

Funcionamento requer comunicação: as interfaces proporcionam uma ótima interligação dos componentes da infraestrutura ferroviária.

Leia mais
Mix de tecnologias para mais informação

Tecnologias

Mix de tecnologias para mais informação

Mayank Tripathi | 27.06.2017 | 1909 palavras | Tempo de leitura: 13 minutos

Inteligente combinação para grande benefício adicional: quando o Distributed Acoustic Sensing (DAS) é interligado a contadores de eixos e sensores de rodas indutivos, obtêm-se valiosas informações para aplicações no setor ferroviário.

Leia mais
Ferrovia: o digital no analógico

Tecnologias

Ferrovia: o digital no analógico

Stefan Marschnig | 30.06.2017 | 1973 palavras | Tempo de leitura: 14 minutos

A digitalização também é um tema dominante no setor ferroviário. Os dados disponíveis precisam ser utilizados de forma inteligente. É o que enfatiza Stefan Marschnig, Associate Professor na TU Graz.

Leia mais